Controlador de Vazão Aalborg DFC
  • Controlador de Vazão Aalborg DFC

Controlador de Vazão DFC

Medidores de vazão térmicos baseiam-se nas características de dispersão de calor dos gases para a medição direta de vazão mássica, permitindo que variações de pressão ou temperatura de processo não interfiram na medição e sejam automaticamente compensadas, sem a necessidade de medidores adicionais ou computadores de vazão. Quando comparado a sistemas de medição por pressão diferencial (placas de orifício, tubos de Venturi, etc.) as vantagens da medição térmica são inúmeras: medição direta em massa ou referenciada às CNTP, melhor precisão, melhor rangeabilidade, menor queda de pressão, menos conexões e menor custo de instalação.

 
Aplicações

  • Chaminés
  • Flares
  • Laboratórios
  • Estações de tratamento de esgoto
  • Aterros sanitários
  • Hospitais
Categorias ,
  • Descrição
  • Informação adicional
  • Princípio de Operação
  • Mídia

Descrição

Com design robusto, associado a uma eletrônica de alta precisão, oferece uma forma versátil e econômica para a medição vazão de gases. Incorporando vantagens dos medidores GFM, a série de controladores GFC e DFC possuem ainda válvulas de controle proporcionais que permitem o controle contínuo da vazão a partir de set points ajustados local ou remotamente.

 
Faixas de medição:
0-10 Nml/min a 0-100 Nl/min (Ref. N2)

Blocos de medição:
Aço inox 316

Conexões ao processo:
Terminal de compressão 1/8”, 1/4” e 3/8”

Precisão:
±2,0% FE (opcional ± 1,0%)

Repetibilidade:
±0,15% FE

Pressão máx. de trabalho:
34,5 bar

Temperatura do gás:
0 a 50ºC

Alimentação:
12 ou 24Vcc

Comunicação:
RS485 ou RS232 (opcional)

Saída:
4-20mA ou 0-5Vcc

Display:
LCD (opcional)

Válvula:
Solenóide proporcional

Informação adicional

Variavel

Vazão

Medição

Controlador de vazão

Tecnologia

Dispersão térmica (termal)

Material

Gases

Tipo de proteção

Área não classificada

Tipo de medição

Com contato

Segmento

Automotivo, Cimento e Vidro, Alimentos e Bebidas, Farmacêutico, Gases Industriais, Metalurgia, Químico e Petroquímico

Medição por tubo capilar
O gás a ser medido é dividido e flui por duas seções de perfil laminar, onde uma das seções é o próprio tubo do medidor, e a outra é um tubo capilar de medição. Ambas as seções são projetadas para garantir fluxos laminares e, portanto, a razão de fluxo entre elas é constante. Dois elementos térmicos são aquecidos e enrolados em torno do tubo capilar de medição, e quando há fluxo de gás pelo capilar, o gás transfere calor do elemento térmico a montante para o elemento térmico a jusante. O diferencial de temperatura resultante é proporcional à variação da resistência nestes elementos. Uma ponte de Wheatstone é utilizada para monitorar a variação de resistência que é dependente do gradiente de temperatura, que por sua vez é linearmente proporcional à vazão do gás pelo capilar. A vazão não é afetada por variações de temperatura e pressão dentro de limites pré-estabelecidos.