Controlade de Vazão Aalborg GFC
  • Controlade de Vazão Aalborg GFC
  • Controlade de Vazão Aalborg GFC

Controlador de Vazão GFC

Medidores de vazão térmicos baseiam-se nas características de dispersão de calor dos gases para a medição direta de vazão mássica, permitindo que variações de pressão ou temperatura de processo não interfiram na medição e sejam automaticamente compensadas, sem a necessidade de medidores adicionais ou computadores de vazão. Quando comparado a sistemas de medição por pressão diferencial (placas de orifício, tubos de Venturi, etc.) as vantagens da medição térmica são inúmeras: medição direta em massa ou referenciada às CNTP, melhor precisão, melhor rangeabilidade, menor queda de pressão, menos conexões e menor custo de instalação.

 
Aplicações

  • Chaminés
  • Flares
  • Laboratórios
  • Estações de tratamento de esgoto
  • Aterros sanitários
  • Hospitais
Categorias ,
  • Descrição
  • Informação adicional
  • Princípio de Operação
  • Mídia

Descrição

Com design robusto, associado a uma eletrônica de alta precisão, oferece uma forma versátil e econômica para a medição vazão de gases. Incorporando vantagens dos medidores GFM, a série de controladores GFC e DFC possuem ainda válvulas de controle proporcionais que permitem o controle contínuo da vazão a partir de set points ajustados local ou remotamente.

 
Faixas de medição:
0-10 Nml/min a 0-1000 Nl/min (Ref. N2)

Blocos de medição:
Alumínio ou aço inox

Conexões ao processo:
Terminal de compressão 1/4”, 3/8” e 1/2″
Rosca 3/4″ NPT(F)

Precisão:
±1% FE

Repetibilidade:
±0,25% FE

Pressão máx. de trabalho:
70 bar

Temperatura do gás:
0 a 50ºC

Alimentação:
12Vcc, 24Vcc ou 12-26Vcc

Entrada (set-point):
4-20mA ou 0-5Vcc

Saída:
4-20mA ou 0-5Vcc

Display:
LCD (opcional)

Válvula:
Solenóide ou motorizada

Informação adicional

Variavel

Vazão

Medição

Controlador de vazão

Tecnologia

Dispersão térmica (termal)

Material

Gases

Tipo de proteção

Área não classificada

Tipo de medição

Com contato

Segmento

Automotivo, Cimento e Vidro, Alimentos e Bebidas, Farmacêutico, Gases Industriais, Metalurgia, Químico e Petroquímico

Medição por tubo capilar
O gás a ser medido é dividido e flui por duas seções de perfil laminar, onde uma das seções é o próprio tubo do medidor, e a outra é um tubo capilar de medição. Ambas as seções são projetadas para garantir fluxos laminares e, portanto, a razão de fluxo entre elas é constante. Dois elementos térmicos são aquecidos e enrolados em torno do tubo capilar de medição, e quando há fluxo de gás pelo capilar, o gás transfere calor do elemento térmico a montante para o elemento térmico a jusante. O diferencial de temperatura resultante é proporcional à variação da resistência nestes elementos. Uma ponte de Wheatstone é utilizada para monitorar a variação de resistência que é dependente do gradiente de temperatura, que por sua vez é linearmente proporcional à vazão do gás pelo capilar. A vazão não é afetada por variações de temperatura e pressão dentro de limites pré-estabelecidos.